PERFIL FEMININO

A menina se veste e brinca que é uma princesa… A princesa se sente uma criança ainda… Somos seres complexos, com vários “níveis” e aspectos que explicam porque discordamos “de nós mesmos” às vezes sobre decisões e comportamentos. Uma maneira fascinante e reveladora de estudar isso é através da ideia desses 4 gradientes ou níveis que “compõem” uma mulher.
O primeiro nível corresponde ao corpo que tem sua própria perspectiva, inteligência e impulsos inerentes. Pense, por exemplo, se uma mulher “sabe” como dar a luz e nutrir o bebe no útero – ou se é de fato a inteligência do corpo?!.
O próximo “nível” na pessoa é a parte que é ‘civilizada’ e educada. Isto –se pensarmos bem – vai depender da região do mundo, cultura, religião, nível social, família, escola, etc. na qual nasceu e cresceu. É a parte que lida com família, trabalho, amigos e varias obrigações do dia a dia.
Além disso, temos a dama, ou princesa, sempre por perto, às vezes não bem realizada, às vezes momentaneamente, que busca por qualidade, refinamento, fineza. Por que tantas mulheres ficam fascinadas pela CERIMÔNIA do casamento com todo aquele branco, vestimenta, atenção e regalia? Não é seu momento de ser princesa por um dia?! A vontade para paz, mais cuidado no mundo, carinho, melhor compreensão entre as pessoas… Vontades nobres que vão beneficiar todo mundo.
Finalmente temos o nível do anjo, ou santa, ou ainda deusa, que “atraiu” tantas mulheres para se tornarem freiras ou monjas ou ainda sacerdotisas – querendo dedicar suas vidas para condição mais espiritual, humanidade e Deus. De novo, podemos dizer que quase todo mundo sente vislumbres ou a presença dessa dimensão em si, agindo nela como base da vida ou não.
Assim podemos começar a identificar de onde vieram certos pensamentos, impulsos e desejos – pois cada nível tem os seus. Entendendo que somos compostos dos 4 podemos sorrir enquanto identificamos mais claramente de onde veio certo impulso, emoção ou reação. Todos são importantes! Mas em geral cada vez mais desenvolvido e expandido: torna-se mais altruísta, menos egoísta, menos focada em si mesma. A maioria das pessoas podem passar de um nível para outro, num ‘piscar de olhos’… Todavia, é claro, é mais difícil sustentar a si mesmo nos níveis mais elevados – o nível do corpo, por exemplo, é automático enquanto que o da “princesa-dama”, não; para esse nível necessitando ter atenção e esforço. E com o passar do tempo uma pessoa começa a ter um centro de gravidade mais em uma ou outra área. Não é para julgar, fixar ou preocupar, mas para ajudar a entender, liberar e se divertir!